quarta-feira, 27 de abril de 2016

CUIDADO COM A DESINFORMAÇÃO


"Maurício Júnior

Empreendedor independente em Polishop

CUIDADO COM A DESINFORMAÇÃO!!
Sites cristãos estão publicando, em tom alarmista, que voltaram os sacrifícios animais entre judeus. NÃO É VERDADE!!
Existe, em Israel, uma organização chamada "Instituto do Templo", Mekhon hamikdash, em hebraico. Esse pessoal está reconstruindo os utensílios do Templo e formando cohanim (sacerdotes) para um eventual retorno do Templo de Jerusalém. Lembrando que a área do que seria o Templo está sob controle palestino. Muitos judeus são até presos por tentar ir orar lá.
O instituto do Templo realizou um sacrifício de Páscoa SIMBÓLICO, não válido, no Monte das Oliveiras, para fins EDUCACIONAIS. Eis o link do vídeo. Qualquer um que entenda inglês pode conferir: https://youtu.be/5kgbRusmqjs
Pegaram o link e estão compartilhando dizendo que "Jesus está voltando", porque "os judeus cegos estão oferecendo sacrifícios"!!! Que barbaridade!
É hora também de esclarecer o seguinte: o judaísmo NÃO DEFENDE A OBRIGATORIEDADE DE SACRIFÍCIOS DE SANGUE para perdão de pecados! Quem defende isso é exatamente o cristianismo. O judaísmo está há um tempinho de dois mil anos sem sacrifícios e vai muito bem, obrigado, com orações, jejuns e ações de caridade.
Além disso, os sacrifícios da páscoa devem ser feitos por pessoas adestradas, de forma que o animal sofra a menor dor possível, e a carne não é jogada no lixo, e sim comida pelas famílias, e não serve para "perdoar pecados".
Se você, assim como eu, odeia desinformação, repasse essa nota de esclarecimento pra quem quer que compartilhe essa notícia tendenciosa e alarmista!

Descurtir · Responder · Marcar como spam · 1 · 25 de abril de 2016 18:52


Benaiah Cabral Ben Avraham Leiehouah

Corretor em Corretor De Imóveis

Excelente Maurício Júnior!
Ei "amigos, companheiros de Bíblia", ninguém deu atenção declarada a este comentário útil do Maurício? Só serve alarmismo e profetismo pretensioso? Se analisem. Sem a performance hebraica judaica suas Bíblias não podem perdurar nem com 300.000 nano bibliotecas. Quem quiser conhecimento que busque.

Curtir · Responder · Excluir · Agora mesmo


Dulce Bianchi"




22 de abril de 2016
Judeus voltam a fazer sacrifícios de animais após 2000 anosJarbas Aragão






O Templo judeu foi totalmente destruído pelo exército romano no ano 70. Desde então, os judeus cessaram os sacrifícios de animais. Embora a tradição continue entre os samaritanos, o sangue é derramado no monte Gerizim e não segue estritamente a tradição bíblica.

Em 2016, pela primeira vez em quase dois milênios, cordeiros de um ano foram sacrificados ao ar livre por homens que reúnem as condições de serem os novos levitas e sacerdotes.

Ainda que o Terceiro Templo não esteja de pé, os membros do Instituto do Templo conseguiram reunir cerca de 400 convidados para uma “cerimônia modelo”, no alto do Monte das Oliveiras. Entre os convidados estavam líderes políticos e religiosos, que expressaram sua esperança que as mesquitas em breve sejam removidas do alto do Monte do Templo.

O político Arieh King afirmou esperar que Jerusalém logo esteja livre do que ele chamou de “abominação”. Ao mesmo tempo, o rabino Yisrael Ariel, um dos líderes do Instituto do Templo explica que o evento foi uma “preparação” para quando o monte Moriá for “limpo e consagrado” e o templo, reconstruído.

A cerimônia realizada na segunda (18) seguiu vários rituais antigos prescritos pela lei da Torá e judeus, incluindo o abate de um cordeiro pelos sacerdotes Cohanim (descendentes de Arão), a aspersão do sangue, a queima de gorduras e outras partes do cordeiro em um altar. Tudo ao som de trombetas de prata sopradas pelos levitas. O local do abate cerimonial foi a yeshiva Beit Orot, de onde se pode ver todo o Monte do Templo.

Segundo o calendário judaico, que é lunar e segue os tempos estabelecidos por Deus no Antigo Testamento, a Páscoa (Festa de Pêssach) começa ao pôr do sol desta sexta, 22 de abril e vai até o anoitecer de sábado, dia 30.

O rabino Ariel, que leu passagens do Talmude relativos ao Monte do Templo explicou que trata-se de mais um ensaio para que, quando as cerimônias forem retomadas no novo Templo, esteja tudo pronto.

Os organizadores do evento dizem que desejavam oferecer uma autêntica experiência judaica “com os cheiros, sons e cores que foram perdidos para nós nestes 2000 anos”. O objetivo final era “despertar no povo um desejo de renovar este ritual do Templo em nossos dias”.

Sacerdotes do Instituto do Templo.

O rabino Shmuel Eliyahu, importante líder judeu, salientou que “todos os judeus praticantes, vem rezando por isso três vezes ao dia durante os últimos 2.000 anos”. Ele estava feliz por ver as orações cantadas com acompanhamento musical após o abate do animal, enquanto os Cohanim usavam as peças cerimoniais que já estão prontas para serem utilizadas em breve no Templo.

Renovando a esperança

Esta é a segunda demonstração de como funcionam os sacrifícios feita este ano. No início de março, três membros do Sinédrio abriram as comemorações da chegada de mês bíblico de Adar, acompanhado de uma reconstituição do serviço do Templo.

Essa verdadeira aula de Antigo Testamento visa mais que lembrar um costume. Mostra o quanto ospreparativos para o novo Templo são reais. Ao exibir tudo em público, ele também ajuda a acostumar os moradores de Jerusalém com a ideia de já existir uma nova classe sacerdotal.

Nos últimos anos, outros gruposjudeus ortodoxos realizaram sacrifícios em frente ao Monte do Templo, em Jerusalém, tentando seguir o ritual descrito nos Livros de Moisés, mas não tão detalhadamente quanto o Instituto do Templo. Eles chamam isso de “ensaio profético”.

Para evitar conflitos com os muçulmanos, o governo de Israel não tem estimulado a prática e já prendeu ativistas que tentavam fazê-lo. Com informações de Israel National News eJerusalém Post



Leia mais

Processo de purificação é essencial para retomada dos cultos no padrão da Torá

Todos usavam roupas feitas conforme as especificações bíblicas

Debate sobre peças dura séculos