sexta-feira, 6 de maio de 2016

AM ISRAEL CHAI - SHABAT SHALOM


Trabalhista Khan se torna 1º prefeito muçulmano de Londres
Turquia condena jornalistas por "revelar segredos de Estado"
Tiroteios em shopping de Maryland deixam 1 morto e 3 feridos
Canadá confirma 2 primeiras mortes relacionadas a incêndio
Dois jornalistas turcos são condenados a prisão

Fonte dos "Panama Papers" prevê revolução digital

Obama alerta que presidência não é um reality show


Quênia derruba prédios ilegais após desabamento que matou 42

Trump crê que "Brexit" é melhor solução para Reino Unido

Indignação mundial após bombardeio contra refugiados sírios

PreviousNext

MUNDO06/05/2016 12:02

Confronto entre Israel e palestina cria temor de nova guerra


73 views 
-

AFP/ SAID KHATIBIsrael e Palestina: a aviação israelense bombardeou o norte e o sul do território respondendo tiros de morteiro palestinos contra seus soldados mobilizados na fronteira
da Afp



Israel realizou nesta sexta-feira novos bombardeios aéreos contra aFaixa de Gaza, em resposta a tiros de morteiro do movimento islamita Hamas, os enfrentamentos mais graves neste enclave palestino nos últimos dois anos, que suscitam o temor de outra guerra.

Estes enfrentamentos, que entram em seu terceiro dia consecutivo, são os mais graves desde o conflito devastador na Faixa de Gaza de julho e agosto de 201, que terminou com um frágil cessar-fogo.



Publicidade

A aviação israelense bombardeou, nesta sexta-feira, o norte e o sul do território, controlado pelo Hamas, respondendo tiros de morteiro palestinos contra seus soldados mobilizados na fronteira.


Os aviões bombardearam inicialmente Beit Lahya, no norte, e depois várias posições utilizadas pelos grupos armados em Juzaa, no sul, segundo testemunhas que não têm certeza se fizeram vítimas.

Segundo o exército israelense, houve somente uma operação contra uma posição do Hamas, em resposta aos tiros de morteiro palestinos dirigidos a seus soldados, situados na barreira de segurança que fecha hermeticamente o território.

Trata-se da quarta operação deste tipo desde quarta-feira e soma-se aos disparos dos tanques israelenses.

Os soldados israelenses são alvo desde quarta-feira de mais de uma dezena de disparos de obuses palestinos, segundo uma contagem do exército. Nesta barreira os soldados tentam descobrir túneis pelos quais os combatentes palestinos poderiam se infiltrar em Israel.

Trata-se do primeiro confronto direto entre o Hamas, que governa a Faixa de Gaza, e o exército israelense desde a guerra de 2014.

Os enfrentamentos deixaram até o momento um morto, quando uma palestina de 54 anos foi abatida na quinta-feira por disparos de um tanque israelense, segundo fontes médicas palestinas.

Uma situação insuportável


Estes confrontos suscitam o temor de uma ruptura do cessar-fogo de 2014 e de um novo conflito deste território pobre e superpovoado, que conheceu três guerras em seis anos e que ainda não se recuperou da última.

"Temos medo. Está claro que a guerra está começando. Há muitos confrontos, exatamente como antes da última guerra", disse à AFP Alaa Abu Zaki, de 24 anos, pai de um menino de três, que vive na fronteira norte da Faixa.

"Tememos por nossas casas e nossas crianças, porque as bombas não distinguem entre os civis e a resitência", declara Hanan Akkaui, de 53 anos, mãe de família no oeste do território.

"Os judeus querem a guerra e a situação é insuportável", diz Mohanad Ghaban, de 24 anos. "Não temos nem eletricidade, nem cimento, nem água. Morremos pouco a pouco e mais vale morrer de um golpe em uma guerra", afirma.

Do outro lado da fronteira, no kibutz israelense de Kerem Shalom, Amit Caspi admite também ter "medo da próxima guerra" e declara que pensa em ir embora.

"Durante a noite o ruído dos morteiros, dos bombardeios, dos aviões", queixa-se Jehan Berman, outro habitante do kibutz, próximo a um local onde o exército afirma ter descoberto vários túneis.


Os túneis foram uma das armas mais eficazes e temidas dos combatentes palestinos em 201. O exército israelenses disse então ter destruído mais de 30.

Mas continuam sendo atuais. O próprio Hamas proclama continuar os construindo e o exército israelense continua tentando descobri-los e destruí-los.

Segundo o Hamas e seu braço armado, os soldados israelenses entram no território de Gaza e violam assim a trégua.

O exército israelense admite que atua no interior do território palestino, em uma faixa de 100 metros, mas assegura não ter "nenhum interesse" em uma escalada militar. Nesta sexta-feira, reafirmou sua determinação de combater "o diabólico plano do Hamas de se infiltrar nas comunidades israelenses".




Pela Web


PatrocinadoTome uma atitude ou sofrerá impeachment no…Catho - Emprego sem Crise


PatrocinadoPesquisa desvenda mecanismo para…Slimcaps - Super Ciência


Patrocinado“Cápsulas da saúde” eliminam a gordura…Perdendo Peso

Leia Mais

Bombardeio em campo de refugiados mata…


Kasich cancela evento e pode sair de corrida…


Partido Podemos perde apoio antes de nova eleição…


Alemanha planeja usar maconha medicinalmente…



Comentários


Pelas Redes



Até quando?!!!No dia de hoje, o sargento...
18 de fev
Kleber Castelo Branco



Ronaldo É GOLPE SIM.@RonaldoEsteves2

Michel Temer é ficha-suja e fica inelegível por 8 anos, diz promotora eleitoral https://t.co/zSToDBcd8x >Mais novo presidente dos coxinhas?
3 horas
10




#fudidoemeio #Elefante #Sala #Palestina...
6 d
Fudido e Meio


Veja mais
Sugestões dos EditoresNetflix vai lhe ajudar a não estourar seu plano de dados
Quem substitui Eduardo Cunha na presidência da Câmara
Estupro brutal choca a Índia. De novo
As 25 universidades mais respeitadas do mundo em 2016
30 restaurantes com o melhor custo-benefício do Brasil




Versão Desktop
Termos de uso

Copyright © Editora Abril - Todos os direitos reservados