quarta-feira, 18 de maio de 2016

NÃO HERZOG. NÃO À CAUSA TERRORISTA PALESTINA, NÃO AOS DOIS ESTADOS E NÃO ÀS SUAS CONDIÇÕES OU PRESENÇA NO GOVERNO DE ISRAEL, SENÃO COMO CIDADÃO SOBRE OBRIGAÇÃO DE FIDELIDADE. - O POVO E A NAÇÃO, A FAMÍLIA, A COMUNIDADE E OS AMIGOS DE ISRAEL SOBRE A INSPIRAÇÃO E LIDERANÇA DE YEHOWAH ELOHIM TSEVA'OT IEHOUAH TODO-PODEROSO DOS EXÉRCITOS, NÃO ACEITAM E NÃO QUEREM ESTA COALIZÃO. - SE AFASTE DISSO DEFINITIVAMENTE NETANYAHU E SE LEMBRE DOS JUDEUS, ÁRABES E ETNIAS QUE TE ELEGERAM E TE APOIAM NO PODER; JAMAIS SIGA OS TRAIDORES DE ISRAEL


ZH Notícias
Assine ZHJá é assinante?
Capa ZH
Edição Impressa
Entretenimento
Esportes
Grêmio
Inter
Notícias
Pelas Ruas
Porto Alegre
Vida e Estilo
Colunistas
Jerusalém
Agitação política em Israel com possível governo de união nacional

18/05/2016 - 07h43min
Compartilhar:


O mundo político israelense estava agitado nesta quarta-feira com as múltiplas especulações sobre a possibilidade de o primeiro-ministro, Benjamin Netanyahu, conseguir formar nos próximos dias um governo de união nacional com o Partido Trabalhista.

Os contatos entre Netanyahu e o líder da oposição, o trabalhista Isaac Herzog, se intensificaram nos últimos dias e as negociações entraram em uma fase definitiva, informa a imprensa.

Herzog poderia apresentar um possível acordo de coalizão para a votação do partido nos próximos dias.

A entrada de Herzog no governo será acompanhada de perto pela comunidade internacional para observar seu impacto no processo de paz com os os palestinos, atualmente sem nenhuma perspectiva.

O líder trabalhista poderia assumir o ministério das Relações Exteriores.

Herzog defende uma "solução de dois Estados", a criação de um Estado palestino independente que coexista em paz com Israel.

Mas a possibilidade de um governo de união nacional parece complicada. No Likud, o partido conservador de Netanyahu, a oposição é considerável.

Dentro do Partido Trabalhista, a resistência também é importante, assim como na União Sionista, a aliança do do Partido Trabalhista com o Hatnuah, da ex-chefe da diplomacia Tzipi Livni.

Netanyahu ouviu na terça-feira as exigências de Herzog para incluir no acordo de governo o compromisso de buscar uma "solução de dois Estados", assim como uma forma de interrupção da colonização, fora dos grandes blocos de colônias já existentes, afirma o jornal Haaretz.

Entre os trabalhistas, a principal rival de Herzog, a deputada e ex-líder do partido Shelly Yachimovich, chamou de "bodas de sangue" a possível aliança com o Likud.

Netanyahu, que dirige um dos governos mais conservadores da história de Israel, nunca escondeu o desejo de aumentar sua maioria, desde a vitória nas legislativas de março de 2015. Ele dispõe apenas de uma possível maioria no Parlamento e nos últimos meses se viu cercado pelos interesses particulares dos partidos e deputados aliados.

* AFP
Compartilhar:

VEJA TAMBÉM

Moda | DonnaDicas para escolher o vestido preto ideal e arrasar! | Donna


PATROCINADOItaúVeja uma lista de 6 aplicativos que vão facilitar ainda mais a…


PATROCINADOLibertyQuer ter um seguro que ofereça serviços diferenciados?


PATROCINADOMicrosoftMelhore a parte mais difícil de seu trabalho


Moda | DonnaComo usar tricô no inverno? Veja dicas e apostas


ZH - Jornal do RS com notícias, esportes, colunistas e maisVelho Chico passará por mudanças para evitar rejeição do público

Recomendado por

Publicidade



ZH 50 Anos

No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, polícia, política, moda, cultura, colunistas e mais.
Tenha acesso ilimitado.Assine ZHJá é assinante?

ENTRETENIMENTO
ESPORTES / GRÊMIO
INTER / NOTÍCIAS
PELAS RUAS / PORTO ALEGRE
VIDA E ESTILO