domingo, 5 de junho de 2016

A TEIMOSIA IMPERIALISTA DA LIGA ÁRABE E ÀS VEZES ESBOÇADA PELA ARÁBIA SAUDITA SÓ DEIXA UMA RESPOSTA CORRETA NO ORIENTE MÉDIO: ISRAEL PRECISA ADOTAR A EXPANSÃO TERRITORIAL E MILITAR QUE NUNCA COGITOU POIS É FORÇADO A ISSO


sábado, junho 04, 2016

ARÁBIA SAUDITA QUER QUE ISRAEL ACEITE O "PLANO DE PAZ ÁRABE"

Como rescaldo da malograda iniciativa francesa para um acordo de paz entre árabes e judeus realizada ontem numa encharcada Paris, o ministro saudita para as Relações Exteriores Adel al-Jubeir, afirmou que o plano de paz saudita de 2002 é "a melhor solução" para o conflito israelo-árabe.
O primeiro-ministro Benjamin Netanyahu tinha exigido que essa proposta árabe saudita fosse"actualizada", de forma a reflectir as mudanças que desde então têm ocorrido no Médio Oriente, mas a ideia de Netanyahu foi prontamente rejeitada pelo responsável saudita.
A iniciativa árabe de 2002 foi reafirmada em 2007 durante a Cimeira da Liga Árabe, e declara que as 22 nações árabes normalizarão os seus laços com Israel em troca da retirada de Israel da Judeia e da Samaria.
Israel tem desde sempre rejeitado este plano, uma vez que obrigaria à aceitação do assim chamado "direito de retorno" para milhões de descendentes de árabes que fugiram de Israel antes da sua independência. Tal retorno representaria o fim da nação de Israel. Como tal, Israel jamais poderá aceitar uma proposta deste calibre. 

Shalom, Israel!

Sem comentários: