domingo, 5 de junho de 2016

HISTÓRICO E FATOS DO ISLÃ E ISLAMISMO - ESTUPRO E ESTUPRO COLETIVO - GENOCÍDIO E CARNIFICINA - ALAH E MAOMÉ - ALCORÃO E O CORAN - CAUSA PALESTINA E PALESTINOS - ÓDIO E TERROR - MENTIRAS E GOLPES - ANTISEMITISMO E ANTI-SIONISMO


Amigo de Israel

Ai dos que ao mal chamam bem, e ao bem mal; que fazem das trevas luz, e da luz trevas; e fazem do amargo doce, e do doce amargo! Isaías 5:20

sexta-feira, 26 de fevereiro de 2016

Ela foi mostrar quão pacífico é o Islão...

ACTUALIZAÇÃO

Lei da rolha nas Polícias europeias
Os posts mais recentes do nosso blogue* tiveram como mote a onda de estupros da Passagem de Ano, que foi simplesmente grande demais para ser abafada, como é política das autoridades políticas, policiais e dos media. Mas hoje chega-nos a notícia de que Polícia de Colónia lançou uma investigação paraapurar quem divulgou os relatóriosinternos relativos ao assédio e agressões sexuais na véspera de Ano NovoA Imprensa mundial só teve acesso a esses ataques ultrajantes quatro dias após o incidente.
* Ver   


e anteriores.
1. DA DOCE IDEOLOGIA À AMARGA REALIDADE 
 
De uma vez por todas, senhores extrema-esquerdistas, hippies, islamófilos, poetas sonhadores e outros românticos:  A REALIDADE NÃO DEPENDE DOS VOSSOS SONHOS COR-DE-ROSA! O Islão não é "A Religião da Paz". Esta senhora, que queria provar esse "ponto de vista", foi violada e morta ao abrigo da ideologia islâmica.

O texto que se segue é traduzido e condensado do site YES, I'M RIGHT:
UMA MULHER RESOLVEU PERCORRER O MÉDIO ORIENTE À BOLEIA*, PARA PROVAR QUE OS MUÇULMANOS SÃO PACÍFICOS - FOI ESTUPRADA E MORTA POR MUÇULMANOS.

"Carona", para os nossos leitores brasileiros. 

Nós, conservadores, temos má reputação quando dizemos que os muçulmanos e o Islão não obedecem a ideologias pacíficas. Os liberais (a maior parte da esquerda, e a extrema-esquerdaargumentam que os muçulmanos e o Islão são absolutamente pacíficos.Mais uma vez, fica patente que eles estão errados, só que, infelizmente, foi preciso alguém morrer da pior maneira imaginável.
Esta notícia pode ser um pouco mórbida, mas achamos que é importante divulgá-la, para mostrar aos liberais de coração mole a dura realidade.
 
É uma história chocante e triste que deve ser compartilhada e bem divulgada. Uma mulher italiana que resolveu ir de boleia da Itália a Israel para promover a paz mundial, foi estuprada e assassinada por muçulmanos na Turquia.

Via The New York Times:
O corpo nu de Giuseppina Pasqualino di Marineo, 33 anos, conhecida como Pippa Bacca, foi encontrado nuns arbustos, perto da cidade de Gebze, na sexta-feira.
A artista tinha dito que queria mostrar que poderia colocar a sua confiança na bondade das pessoas locais. A polícia turca diz ter detido um homem em conexão com o assassinato.
Os relatos dizem que o homem levou a polícia ao corpo. A senhora di Marineo pretendia ir de boleia de Milão até Israel e aos "Territórios Palestinianos", com uma colega artista, no seu projecto "Noivas on Tour".
 
Aos leitores antiquados (como nós) esclarecemos que, nos dias que correm, andar à boleia é "Arte". Só que uma coisa é calçar as sandálias, meter o bornal ao ombro, a erva ao bolso, a foice e o martelo na lapela, tomar banho em patchouli, e ir ao Festival Islâmico de Mértola. Outra coisa é a realidade do Islão!
Esta viagem à boleia era considerada uma peça de arte performativa. A viagem através de quase uma dúzia de países, nos Balcãs e no Médio Oriente, muitos deles recentemente devastados pela guerra, foi concebida para destacar que "ao superar diferenças e reduzir o nível de conflito, indivíduos e culturas poderiam unir-se", disse a artista companheira de viagem, a senhora Moro, numa entrevista por telefone."Conhecer pessoas era a chave"- concluiu.

A viagem da artista Bacca foi interrompida perto da aldeia de Gebze, cerca de 40 milhas ao sudeste de Istambul. Um homem desempregado, Murat Karatas, 38 anos, confessou tê-la assassinado, a 31 de Março, disseram as autoridades.

"Aceitar boleia de estranhos era crucial para o sucesso do desempenho artístico", disseMoroA declaração das artistas no seu site,bridesontour.fotoup.net, diz:"apanhar boleia é escolher ter fé nos outros seres humanos, e o homem, como um pequeno deus, recompensa aqueles que têm fé nele."


O assassino (um deles) e a vítima.
Moro explicou: "Nós queremos mostrar que não se pode promover o amor entre as pessoas, se se está escondido em classe executiva. Uma pessoa não pode ir para, digamos, as Ilhas Maurícias, e comer massas italianas. Você não vai entender as pessoas até que você parta o pão com elas, porque é nas pequenas diversidades que irá encontrar semelhanças."

--------------------------------
Eis o que acontece

Isto é absolutamente nojento e não tem lugar no nosso mundo moderno, e o facto deque quase não houvecobertura noticiosa deste caso - a não ser em obscuras secções de artes de alguns jornais -  diz tudo sobre a agenda de mentira dos media.
Fonte: BBCThe New York Times 

2. LAVAGEM CEREBRAL

Assim terminou a experiência de Pippa Bacca. Assim terminam os pacifismos imprudentes que não levam em conta a realidade.

Com todo o respeito que as pessoas bem intencionadas (como a falecida senhora Bacca) nos merecem, esta gente é tremendamente ingénua. Mas não é sua culpa exclusiva, pois os media divulgamincessantemente propaganda islamista, induzindo a população do Mundo Livre em erro.  

E a ideologia política 'avant-garde' faz o resto. 

Elegeram como a causa de todos os males o Ocidente, o Judeo-Cristianismo, a iniciativa privada e a economia de mercado, a democracia, o sexo masculino, a pele branca. E por contrapartida, tudo o resto é intrinsecamente bom, puro, impoluto, livre das garras sujas do "homem branco". 

Nem a morte de Pippa demoveu a sua companheira de viagem artista de continuar a provar a teoria que ambas acalentam. Quando a ideologia se sobrepõe à realidade, é assim.
3. NENHUMA OUTRA RELIGIÃO ADMITE O ESTUPRO, A TORTURA, A MUTILAÇÃO, O ASSASSÍNIO, OCANIBALISMO E O GENOCÍDIO!  

O argumento clássico do Islão é que estupros ocorrem em todas as sociedades. É verdade. Mas nas sociedades decentes, os estupros são punidos, não são encorajados ou tolerados:

O Ex.o imã da Mesquita de Al-Aqsa, em Jerusalém (o alibi dos muçulmanos para exigirem soberania sobre a cidade e o país, um edifício onde há há alguns anos pastavam cabras e onde se praticaparkour e terrorismo) não hesita em ordenar a jihad sexual sobre as mulheres"infiéis": 
 


No post anterior demonstrámos, mais uma vez, que a escravatura sexual e o estupro das mulheres infiéis são parte integrante do Islão. O assassínio dos"infiéis" também. Estupro, tortura, genocídio, assassinato dos "infiéis" - ATÉ O CANIBALISMO! - não são ocorrências esporádicas; fazem parte da própria essência do Islão.


- Algumas secções do nosso blogue sobre o que afirmamos:

Jihad Sexual Mulheres Crianças


- Alguns sites que mostram o Islão que os mediaescondem: 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seja bem-vindo a esta caixa de comentários quem vier por bem.

Amigo de Israel

Ai dos que ao mal chamam bem, e ao bem mal; que fazem das trevas luz, e da luz trevas; e fazem do amargo doce, e do doce amargo! Isaías 5:20

sexta-feira, 5 de setembro de 2014

Psicologia do estupro enraizada na religião e cultura islâmicas


Os muçulmanos paquisteses violadores de Rotherham


O recente escândalo de estupro emRotherham, Inglaterra, onde as autoridades ignoraram durante anos os apelos de largas centenas de crianças brutalmente estupradas por um gangue de muçulmanospaquistaneses, continua a dar que falar, ainda que a Imprensa branqueie quanto possa.


A Imprensa tem claramente um peso e duas medidas quando aborda os abusos sexuais de menores. E a Justiça também. Este padre (o famoso "padre do Fundão"), antes de julgado e condenado a 10 anos de cadeia por, alegadamente, ter cometido abusos sexuais, já era seguido por batalhões de jornalistas e rotulado de "PEDÓFILO". Quando de trata de muçulmanos (clérigos ou "civis"), a palavra de ordem é ESCONDER e BRANQUEAR.

Os criminosos de Roterham estupraram e torturam crianças, em números que para já são de mais de 1400. Forçaram as meninas a abortar bebés em gestação, sob a ameaça de as matarem, das formas mais horríveis. Regaram crianças com gasolina e ameaçaram incinerá-las, forçaram as crianças a participar e assistir a violações colectivas e todo um mundo de horrores.

E este caso está longe de ser únicoO fenómeno dos gangues "asiáticos" o nome politicamente correcto para os gangues de estupro muçulmanos - que seduzem as crianças e jovens compresentes, drogas e promessas de amor, ou simplesmente usam a violência para conseguir satisfazer os seus desejossexuais pedófilos, está a assombrar muitas cidades inglesas e europeias. Poderá ser este caso (e os anteriormente descobertos) apenas a ponta do iceberg?

As nossas etiquetas  JIHAD SEXUAL,CRIANÇAS  e MULHERES, estão infelizmente atoladas de exemplos de abusos sexuais. E os ANIMAIS também não escapam à sanha estupradora dos muçulmanos.


 Damos a palavra a Robert Spencer:


Psicólogos afirmam sobre osgangues de estupro muçulmanos"A psicologia do abuso sexual está enraizada na religião e na cultura islâmicas"

 «Há várias razões para que aconteçam casos como o de Rotherham. A primeira razão é o Islão. É um facto que ao seu fundador e modelo primordial, gostava deestuprar crianças pequenas. Mohammed,o principal exemplo para os muçulmanos,casou-se com Aisha quando ela tinha seis anos, e teve relações sexuais comela quando ela tinha nove anos.  

Além disso, de acordo com o Alcorão(4:24), os muçulmanos estão autorizados a ter relações sexuais com os escravosdo sexo feminino que é o que são, na visão deles, as suas jovens vítimas ocidentais.

As mulheres

Outra razão para o elevado número deestupradores entre os muçulmanos, é que a lei islâmica e a cultura muçulmanatêm uma tendência para perverter a sexualidade. Assim como o celibato entre os monges católicos geracomportamentos sexuais nocivos*, a repressão sexual dentro do Islão é um grande obstáculo para que as necessidades sexuais se expressemnaturalmente.  


 * - Nota nossa: Robert Spencer, o autor deste texto, é católico. 

PORNISTÃO - Sempre prontos a decapitar quem se atreva a fazer um inocente desenho deMaomé, os paquistaneses são líderes mundiais de pesquisa de perversões sexuais na Internet!

O desejo sexual é dirigido para que estejadisponível, por exemplo crianças eanimais. Na verdade, os paquistanesessão o país do mundo que procura mais material sexual contra natura na Internet -sexo com burros, sexo com criançasetc..



No Paquistão, e em outros países islâmicos, é socialmente aceite o sexo com crianças. Os leitores mais antigos e mais informados ainda se devem lembrar dos tempos em que Marrocos era a Meca mundial (no pun intended) dos pedófilos.

Uma pesquisa mostrou que 95 % doscamionistas paquistaneses praticam sexo com crianças - e não são apenas os camionistas que o fazem. (ver post anterior)

Outro importante factor na psicologia do estupro muçulmano é o costume generalizado dos casamentos forçados earranjados. Um casamento em que amulher - e o  homem possivelmentetambém - não escolheram o seu parceirosexualé frequentemente o prelúdio de uma vida de estupro.



Ora aqui está um casal que respira felicidade por todos os poros. E ainda haverá quem tenha o topete de não admitir que o Islão é INCOMPATÍVELcom as noções mais básicas de civilização? Quem acha que o Islão é aceitável, daria a sua filha de 12 anos, 8 anos, 1 ano (!!!) a um tipo destes, em "casamento"?


 - O post "Noiva" de 8 anos morre nas "núpcias" é um dos mais populares deste blog. Mas não passa de um exemplo, infelizmente. A prática é comum.

Todo o acto sexual num casamento emque a mulher não tenha escolhido oparceiro por si mesma e esteja ainda por cima sob pressão de satisfazer as necessidades do seu marido -  e de gerarcrianças - é um tipo de estupro.  

 - Que terão ascriminalizadoras do piropo bloquistas a dizer sobre isto?

A cultura

Ao estudar o comportamento sexual em países muçulmanospercebe-se queBorat (interpretado pelo comedianteSacha Baron Cohen) não é ficcional em tudo.

O facto de que 70% dos paquistaneses, cerca de metade dos árabes e pelo menos um quarto de todos os turcos são casados ​​com parceiros que são parentes próximos, mostra o quão pouco a cultura islâmica se preocupa com a saúde e o amor. Preocupam-se mais com sexo, reprodução e honra da família.

Considerando tais factoschega-se àcompreensão de como o abuso sexualinstitucionalizado está entranhado na cultura muçulmanaTorna-se difícil para os homens muçulmanos entenderem o que é certo e errado,  a partir da perspectiva de nossa cultura ocidental,compassiva e civilizada. »



- Entretanto, a Imprensa esconde, e o politicamente correcto continua a oferecer as nossas crianças aos apetites vorazes destes gangues. A «indignação» ocidental vai para o facto de Israel ter o atrevimento de não se deixar extinguir pelo Hamas, e outras lindas causas...

Aqui em cima é em Gaza, na "Palestina", que  tanta gente imagina como um local das Mil e Uma Noites. E é. Mil e uma noites de horror para estas meninas, violadas ao abrigo da Sharia. O Bloco de Esquerda tem uma terrorista do Hamas em lugar de destaque. Que terá o Bloco ( e a Esquerda em geral, que apoia o Hamas) a dizer sobre isto?

Borat, muito perto da realidade:




You be my wife (Sê Minha Esposa)




Se ficares comigo

Vou-te abraçar com força

Estar ao teu lado

Todo dia e toda a noite

Pela primeira vez no mundo

Que sejas a minha esposa

Mas se me traíres

Pagas com sua vida



Vem ser minha esposa

Eu trato-te bem

Faremos amor

Sempre que eu quiser

Eu dou-te dois sapatos

Um vestido  vermelho

São para ti

Agora que a minha velha esposa morreu



Tens um rosto bonito

E umas orelhas que são ouro

O teu orifício anal é pequeno

Como o de uma criança de sete anos

Espero que te portes bem

E que me dês atenção

Ou eu saco da minha faca

E ofereço-te uma vagina extra

3 comentários:

  1. O José Rodrigues dos Santos ontem falou sem papas na língua sobre o EI! Espero bem que não lhe venham a cortar o pescoço.
    Responder
  2. O texto da Jihad Watch é de Nicolai Sennels, não?
    Responder
    Respostas
    1. Sim, Spencer cita-o: http://www.newenglishreview.org/Nicolai_Sennels/Muslims_and_Westerners%3A__The_Psychological_Differences/
Seja bem-vindo a esta caixa de comentários quem vier por bem.


Amigo de Israel

Ai dos que ao mal chamam bem, e ao bem mal; que fazem das trevas luz, e da luz trevas; e fazem do amargo doce, e do doce amargo! Isaías 5:20

sábado, 27 de fevereiro de 2016

Feministas pedem: “Não nos protejam dos estupradores islâmicos!”


Muçulmanos atacam voluntária em campo de acolhimento de "refugiados". Isto, os media não mostram.

Este post vem na continuação dos posts anteriores, que relatam o estranho fenómeno do encobrimento da jihadsexual por parte das feministas e da Esquerda europeia em geral.
Os homens europeus, em resposta ao ataque islâmico às suas mulheres, VESTEM SAIAS
As mulheres europeias, na ausência de homens com os atributos clássicos do seu género, são obrigadas a vestir elas as calças. O tempo é de Joanas D'Arc e Padeiras de Aljubarrota, honra lhes seja ISLAMITE AGUDA.
(A razão pela qual este pessoal hippie, de extrema-esquerda, das causas "revolucionárias", islamófilo, ateísta, anda permanentemente com este ar furioso e de olhos arregalados, merece um estudo psicológico. Veja p. ex. neste post a actriz espanholaNuria Gago, com os olhos a saltarem das órbitas, que até mete medo...).

Feministas suecas pedem: “não nos protejam de estupradores islâmicos”

A esquerda europeia vai-se revelando cada vez mais desonesta e cínica, desumana ao ponto de apavorar até mesmo alguns psicopatas.

Segundo o Barritrad, grupos feministas da Suécia iniciaram uma campanha não contra os imigrantes islâmicos que estupram as mulheres suecas, mas contra os homens suecos que decidam protegê-las.

Grupos feministas criaram a hashtag #inteerkvinna – que pode ser traduzida como “não somos suas mulheres. Como parte da propaganda, ainda tiveram o desplante de lançar o frame: “É de VOCÊ que temos medo”. Quer dizer: o problema é o “patriarcado e a cultura masculina de proteção à mulher”, e não os estupradores islâmicos, que rejeitam a cultura atacada por elas.

Mas na verdade, essas feministas mentem ao distorcer os fatos do mundo. Para um homem, dizer “minha mulher”, é como para uma mulher dizer “meu homem”. Algo plenamente normal. Daí a biologia nos mostra o maior potencial físico masculino, e, portanto, maior capacidade de defender sua mulher de violência física do que uma mulher tem de defender seu homem Obscurantista no nível das eras tribais, o feminismo ignora não apenas a biologia, como toda a ciência.

O pior é que, ao rejeitarem o conhecimento humano sobre as relações animais, as feministas tripudiam sobre várias mulheres que foram estupradas por imigrantes islâmicos na Suécia e as muitas que ainda sofrerão o mesmo destino.
Fonte: Ceticismo Político

Este vídeo - do excelente canal da "infiel" Khadija Kafir -  explica o estranho fenómeno divulgado na Internet sobre o facto de as feministas suecas (e outras) não quererem que os homens as protejam dos estupradores muçulmanos, pondo assim todas as mulheres em sério risco:


Os casos de assédio, estupro e até assassínio, multiplicam-se. Às vítimas é dito que não divulguem os factos, "para não prejudicar a causa". Os agentes da Polícia nada fazem, pois temem represálias por"islamofobia" e "racismo".
Exemplos ao acaso:
"Não aguento mais!" - testemunho de uma trabalhadora de um centro de acolhimento de "refugiados".
"Refugiado" muçulmano estupra alemã e 25 anos depois de lhe ter comunicado que "as alemãs só servem para sexo".
Japão - dois muçulmanos presos após estupro em grupo de uma mulher.
Menina alemã de 13 anos raptada por muçulmanos e violada em grupo durante 30 horas.
Mulher estuprada em festa de BOAS VINDAS AOS REFUGIADOS.
Menina de 17 anos violada e a sua irmã de 14 anos vítima de abusos sexual enquanto a tentava salvar do assalto por um grupo de "migrantes" muçulmanos numa piscina pública na Alemanha.
Ataque de muçulmanos: "refugiado" pontapeia mulher na face e parte-lhe o maxilar, por ela ter resistido ao estupro.
Muçulmanos arrastam mulher para o subterrâneo do metropolitano de Colónia, enquanto esta grita em desespero (screenshot acima; vídeo retirado pelo poderoso lóbi islamista)

A Europa é um parque de diversões para os"traumatizados refugiados da Síria":

 

 (Tipicamente sírios, diga-se de passagem, como a maior parte dos que chegam de todo o lado, desde o Norte de África ao Paquistão...)
Estes são meros exemplos, gotas de água num oceano de barbárie. O motivo de os apresentarmos num blogue sobre Israel, é para ajudarmos os nossos leitores e amigos a compreenderem que as mulheres em Israel lidam diariamente com este tipo de ameaças - temos até noticiado os decretos religiosos islamistas que ordenam o estupro das mulheres israelitas judias, e, infelizmente, o estupro e assassínio de muitas delas.Podemos aprender com o enorme erro que Israel cometeu, ao pensar que é possível o convívio com islamistas.
Israel, que é o extremo oriental da nossa Civilização (na expressão certeira de um amigo que nos contactou recentemente), lida com esta barbárie há séculos. Israel não é o mau da fita. Israel está no mesmo barco que nós. 
Poderíamos continuar a apresentar centenas largas de casos que chegaram ao conhecimento público, apesar da censura dos media mainstream. Se acha que mentimos, consulte a lista de sites abaixo e confira a fiabilidade das fontes que demonstram que a jihad global está em curso e não poupa"infiéis". Começando pelas mulheres e pelas crianças.
Se V. é daqueles que apenas dispõe de um caixote comslogans que puxa consoante a ocasião, então branda lá os de "ISLAMOFOBIA", "RACISMO", "ALARMISMO", "XENOFOBIA". De nada lhe valerão quando chegar a sua vez. NADA!

ATREVA-SE A ENFRENTAR A REALIDADE:

2 comentários:

  1. Podiam ir montar bordéis no Daesh
    Responder
    Respostas
    1. Tem havido casos em que as voluntárias de extrema-esquerda são violadas e é-lhes dito para se calarem, em nome da "Causa". De modo que elas se calhar até se prestariam a ir "entreter as tropas". :-(
Seja bem-vindo a esta caixa de comentários quem vier por bem.



Amigo de Israel

Ai dos que ao mal chamam bem, e ao bem mal; que fazem das trevas luz, e da luz trevas; e fazem do amargo doce, e do doce amargo! Isaías 5:20

quarta-feira, 1 de julho de 2015

Meio milhão de barcos por ano para Gaza!

    "O melhor revolucionário é o jovem desprovido de qualquer moral".
 Lenine



No post anterior falámos da mais recente traquinice estival dos hippies que resolveram ir a Gaza "levar ajuda humanitária", material para o fabrico derockets, e mais o que escapou...

Obviamente que o que move estes hippiesnão é qualquer tipo de preocupação com os habitantes de Gaza. Se tivessem tal preocupação dedicar-se-iam a denunciar a ditadura terrorista do Hamas, que não poupa nem o seu próprio povo, como temos repetidamente mostrado (ver por exemplo os marcadores GAZA e HAMAS).

Uma das acções mais repugnantes doHamas é precisamente executar as crianças que constroem os túneis de terrorismo... que usam para assassinar as crianças israelitas. Sobre o assunto, pode ler ou reler este post

Se nos conseguirem ouvir por detrás da espessa cortina de fumo de cannabis, pilosidades exacerbadas, patchouli "A Internacional" em loop dentro dos seus cérebros, os Gazistas podem tentar compreender a mais elementar aritmética, na continuação do artigo que traduzimos no post anterior.

Na imagem: oAnders, o Bjorn, aAnnika e a Agnetha, todos contentes por terem "cenas" para contar aos camaradas, e para irritarem os pápis.
A ajuda israelita anual a Gaza equivale a 500.000 barcos cheios

Numa nota mais grave, o Primeiro-Ministro de Israel continuou: "Aqui em Israel estamos diante de uma realidade em que organizações terroristas como o Hamas tentam matar civis inocentes.Defendemos os nossos cidadãos contra essas tentativas, em conformidade com o Direito Internacional."
Camiões que transportam ajuda humanitária de Israel a Gaza.(Abed Rahim Khatib / Flash90)
"Apesar disso", acrescentou,"Israel transporta bens e ajuda humanitária para a Faixa de Gaza - até 800 camiões por dia.No ano passado, permitimos a entrada de mais de 1,6 milhões de toneladas de produtos, uma média de uma tonelada por pessoa na Faixa de Gaza. A propósito: esses fornecimentos são equivalentes a 500 mil barcos como aqueles em que vocês hoje vieram...".
"Não permitiremos que as organizações terroristas continuem a transferir armas para a Faixa de Gaza pelo mar.Há apenas um ano, frustrámos uma tentativa de contrabandear centenas de armas para a Faixa de Gaza por navio. Essas armas destinavam-se a atacar civis israelitas inocentes".
Algumas das armas enviadas pelo Irão por mar e apreendidas pela Marinha de Israel (foto IDF).

Apesar de a ONU ter deliberado que o bloqueio articulado a Gaza, por parte de Israel e do Egipto é legal perante a Lei Internacional, Israel enfrenta tentativas periódicas de violação do bloqueio por 
auto-intitulados
activistas de direitos humanos.
O mais famoso destes incidentes ocorreu em 2010, quando os passageiros do navio  turco Mavi Marmaraemboscaram os soldados israelitas que interceptaram o barco. IDF encontrou armas a bordo do navio, e o relatório das Nações Unidas sobre o incidente observou "sérias questões sobre a conduta e verdadeira natureza e objectivos dos organizadores da flotilha, particularmente IHH"- uma organização islâmica que tem sido acusada de manter laços com aIrmandade Muçulmana e a al-Qaeda.
Por: Sara AbramowiczUnited With Israel

- Independentemente de todas outras considerações igualmente relevantes, sublinhamos que Gaza faz fronteira com Israel e com o Egipto, e que o bloqueio é feito pelos dois países. O Egipto não usa de paninhos quentes e trata de demolir bairros inteiros em Gaza, para eliminar os túneis de terrorismo. Mas as acções de"indignação" só se verificam contra Israel.


- Estes jovens, doentes do tédio da fartura e da vida fácil, podem fazer em Israel tudo aquilo a que estão habituados, porque Israel é um país livre e democrático como qualquer país do Mundo Livre. Em Gaza, seriam sumariamente executados se ousassem consumir drogas ou álcool, ouvir música, exercer qualquer tipo de liberdade sexual, andar de perna ou seio à mostra, protestar contra o Poder, ser homossexual, etc., etc.. Mas é mais confortável afrontar quem sabemos que não nos vai tocar nem num cabelo.
- Claro que há quem apoie o Hamas de boa-fé. Era o caso desta australiana, até ver com os seus olhos a ditadura terrorista islâmica que governa Gaza, e que não poupa nem as próprias crianças: 

2 comentários:

  1. pior q esse último caso do navio fez Israel parecer mau novamente
    Responder
    Respostas
    1. Israel parece sempre mau. A única excepção é quando morrem judeus. Veja o Holocausto: a Imprensa, a extrema-esquerda, e até os nazis (que até tinham um Memorial preparado), gostam dos judeus que morreram. Não dos que sobreviveram. O que essas pessoas têm contra os judeus é apenas uma coisa: EXISTIREM!

      Abraço,

      J.J.
Seja bem-vindo a esta caixa de comentários quem vier por bem.


SEGREDO DE 1.400 ANOS - PORQUE A HUMANIDADE TEM MEDO DOS MUÇULMANOS E COMO O ISLÃ INVADIU PARTE DO PLANETA: