sexta-feira, 10 de junho de 2016

TEL AVIV — Michael Feige estava no auge de sua carreira e passou boa parte de sua vida dedicando-se a estudos e palestras sobre os efeitos da guerra e do terrorismo na psiquê israelense. Sociólogo e antropólogo, ele certamente não imaginou que seria lembrado não apenas como um especialista do conflito entre Israel e Palestina, mas também como uma vítima do terror.

Extra NotíciasJornal ExtraBaixe grátis - No Google PlayVer








buscamenu



10/06/16 05:00
Um dos mortos em atentado era estudioso do conflito entre Israel e Palestina

Michael Feige estava num café no shopping Sarona quando foi baleado Foto: Facebook-A A A+
O Globo,Com agências internacionais



TEL AVIV — Michael Feige estava no auge de sua carreira e passou boa parte de sua vida dedicando-se a estudos e palestras sobre os efeitos da guerra e do terrorismo na psiquê israelense. Sociólogo e antropólogo, ele certamente não imaginou que seria lembrado não apenas como um especialista do conflito entre Israel e Palestina, mas também como uma vítima do terror.

Feige, de 58 anos, é um dos quatro israelenses mortos no atentado de quarta-feira em Tel Aviv. Ele estava em um café do movimentado shopping aberto Sarona, no coração da cidade, quando dois jovens palestinos abriram fogo — outras 16 pessoas ficaram feridas no ataque.

O israelense acumulou uma longa e honrosa trajetória acadêmica, ocupando o posto de chefe do departamento de estudos israelenses na Faculdade de Ciências Sociais e Humanas na Universidade Ben-Gurion do Negev. Autor de premiados livros, Feige era ainda membro do Instituto de Pesquisa Ben-Gurion, com especialização em “sociedade israelense, memória coletiva e mito político”.


Amigo e colega de Feige, Arieh Saposnik descreveu-o como “um homem gentil e pacífico, tanto no nível interpessoal como em sua compreensão da sociedade israelense”.

O fato de o seu amigo, de alma tranquila e com um senso de humor seco, perder a vida sentado em um café, “é uma lembrança de como aleatório e sem sentido é esse tipo de terror”, afirmou o professor Saposnik ao jornal “Haaretz”.

Assim como Feige, Ido Ben Ari, de 42 anos, Ilana Neve, 39, e Mila Mishayev, 32, também morreram no segundo atentado em Tel Aviv em menos de cinco meses.

Ben Ari estava jantando no restaurante Benedict no Sarona com sua mulher e dois filhos. Ela ficou ferida no tiroteio, ele não resistiu. Ilana Neve, de 39 anos, tinha quatro filhas. E Mila Mishayev, de 32 anos, deixou pais, irmãos e uma irmã.

Dezesseis pessoas ficaram feridas no ataque. Em meio ao terror, uma história milagrosa comoveu os israelenses: Asaf Bar, que estava com a namorada em um café, sobreviveu a dois tiros na cabeça.







Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.
0Comentários
Quer comentar?






2 / 3 





© 2006-2016 Todos os direitos reservados
a Infoglobo Comunicação e Participações S.A.