terça-feira, 5 de julho de 2016

- Estes três singelos posts sobre o Sionismo não pretendem, nem de longe, esgotar o tema. Servem como convite às pessoas de boa-vontade para que aprofundem o estudo da História de Israel. Numa velha estratégia nazi/comunista, de demonização dos judeus, o termo "Sionismo" tem ganho conotação negativa. Sionismo é apenas o nome do movimento que defende o direito de o povo judeu viver LIVRE na sua Terra ancestral. Como qualquer outro povo do Mundo. Não é por acaso que os povos nativos que ainda não reconquistaram a sua soberania (vide por exemplo o Tibete) são profundamente Sionistas.


Amigo de Israel

Ai dos que ao mal chamam bem, e ao bem mal; que fazem das trevas luz, e da luz trevas; e fazem do amargo doce, e do doce amargo! Isaías 5:20

domingo, 3 de julho de 2016

História de Israel - O Sionismo Moderno (3)

 Conclusão de:

História de Israel - O Sionismo Moderno (1)

História de Israel - O Sionismo Moderno (2)



BILU - Pioneiros judeus da Diáspora regressam a Israel

Um dos grupos de judeus que fugiram aos pogroms russos indo para Israel, chamava-se"Bilu"O nome é um acrónimo de um versículo de Isaías 2, que exorta a "Casa de Jacob" a"ascender"O objectivo do Bilu foi restabelecer uma comunidade judaica forte em Israel, e, assim, trazer a"redenção".
O primeiro grupo de Biluim foi fundado por um grupo de estudantes universitários que viajou para a Terra de Israel, ainda sob domínio Otomano, em 1882. Rapidamente se lhes juntou o grupo Hovevei Zion e estabeleceu a cooperativa agrícola de Rishon LeZion.

A História da Terra de Israel em gráfico, a partir de 1516 e do domínio Turco Otomano, até aos dias de hoje.
Embora inicialmente os esforços agrícolas tivessem falhado, devido à falta de água potável, o Barão Rothschildinterveio e financiou uma adega em Rishon, que acabou por se tornar um negócio rentável. Rothschild também ajudou os Biluim a estabelecerem a cidade de Zichron Yaacov.

"Nenhuma Civilização ainda o alcançou, nem conseguimos ainda vislumbrar os dia da Era Messiânica, quando toda a Humanidade viverá em fraternidade e concórdia. Até lá, as nações devem dirigir as suas aspirações a um 'modus vivendi' tolerável" -  Leon Pinsker

Leon Pinsker, um médico polaco e Sionista que viveu em meados de 1800, inicialmente tinha sido convencido pelo movimento Iluminista de que a solução para o anti-semitismo era a assimilação. No entanto, a onda de pogroms russos na década de 1870 e 1880 mudou o seu pensamento, e tornou-se um defensor de um Estado judeu, afirmando que os judeus, perpetuamente sem-tecto, perseguidos durante séculos, só poderiam encontrar a paz na Terra de Israel.
O seu livro, "Auto Emancipação", ao contrário deHess (ver posts anteriores), fez um splash e provocou reacções fortes. Pinskertornou-se também um dos fundadores do movimentoHovevei Zion, financiado peloBarão de Rothschild.
A fim de ser formalmente reconhecido pelo governo russo, o movimento tornou-se uma instituição de caridade, a"Sociedade de Apoio aos agricultores e artesãos da Síria e Eretz Israel judeu", mais tarde conhecida como o Comité de OdessaA comissão foi dedicada à promoção da agricultura de Israel, e ajudou a estabelecer a comunidade de Rehovot e Rishon LeZion, entre outras.

1922 - Veteranos da "aliyah", oualiá, comemoram a fundação deRishon LeZion.

Estes Sionistas iniciais, conhecidas como "Proto Sionistas", abriram o caminho para as ondas maciças de imigração para Israel, de judeus da Diáspora que se foram juntar aos seus irmãos judeus que sempre viveram em Israel. O regresso do povo judeu à sua Terra ancestral chama-se "aliyah", a partir da palavra Hebraica "ascender" - a partir do final do século 19.

Bibliografia:Stand With Us.

Jewish Virtual Library


Com o desmoronamento do Império Turco Otomano, todo o mapa do Médio Oriente foi redesenhado. Apenas a existência do pequeno Estado de Israel (o único que não é muçulmano - ó que surpresa...) é contestada!

- Estes três singelos posts sobre o Sionismo não pretendem, nem de longe, esgotar o tema. Servem como convite às pessoas de boa-vontade para que aprofundem o estudo da História de Israel. Numa velha estratégia nazi/comunista, de demonização dos judeus, o termo "Sionismo" tem ganho conotação negativa. Sionismo é apenas o nome do movimento que defende o direito de o povo judeu viver LIVRE na sua Terra ancestral. Como qualquer outro povo do Mundo. Não é por acaso que os povos nativos que ainda não reconquistaram a sua soberania (vide por exemplo o Tibete) são profundamente Sionistas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seja bem-vindo a esta caixa de comentários quem vier por bem.