quarta-feira, 3 de agosto de 2016

"Posso ter-me retirado da NBA, mas ainda não me despedi do basquetebol. O meu próximo passo é representar o Hapoel de Jerusalém, uma das melhores equipas da Europa. Não é só ir receber um cheque, é também uma viagem espiritual", disse o jogador, de 33 anos, em conferência de imprensa.


Stoudemire, afinal, vai para Israel: "Não é só um cheque"



Amar'e Stoudmire, uma das figuras da NBA da última década, voltou atrás com a decisão de abandonar os pavilhões.

Amar'e Stoudemire, uma das figuras da Liga Norte-americana de Basquetebol (NBA) da última década, voltou atrás com a decisão de abandonar os pavilhões e vai prosseguir a carreira nos israelitas do Hapoel de Jerusalém.

Cerca de uma semana depois de ter dito que ia deixar a alta competição, Stoudemire, eleito rookie do ano da NBA em 2003, e que foi escolhido por seis vezes para a equipa All Star, reconsiderou para prosseguir a carreira em Israel.

"Posso ter-me retirado da NBA, mas ainda não me despedi do basquetebol. O meu próximo passo é representar o Hapoel de Jerusalém, uma das melhores equipas da Europa. Não é só ir receber um cheque, é também uma viagem espiritual", disse o jogador, de 33 anos, em conferência de imprensa.

Segundo o extremo/poste, o contrato terá a validade de dois anos com a equipa de quem é também coproprietário.

Stoudemire estreou-se na NBA em 2002, ao serviço dos Phoenix Suns, clube que representou até 2010, ano em que assinou pelos New York Knicks.

Em 2015, transferiu-se para os Dallas Mavericks, mas a meio da época passou para os Miami Heat, a sua última equipa na NBA.