quinta-feira, 6 de outubro de 2016

PARABÉNS ISRAEL POR CUIDAR DE SUA SOBERANIA. CABE À TI O BEM ESTAR DOS PALESTINIANOS DE ATITUDES CORRETAS, PARA SEMPRE ISRAEL

Israel expulsará passageiras de barco que levaria ajuda para Gaza
Entre as detidas está norte-irlandesa que ganhou Nobel da Paz em 1976. Hamas acusa Israel de 'terrorismo de estado'.
06/10/2016 09h41 - Atualizado em 06/10/2016 10h09
France Presse
Da France Presse
Barco Zaytouna-Oliva levava 13 mulheres com ajuda para Faixa de Gaza. Embarcação foi interceptada por Israel (Foto: Amir Cohen/ Reuters)
Barco Zaytouna-Oliva levava 13 mulheres com ajuda para Faixa de Gaza. Embarcação foi interceptada por Israel (Foto: Amir Cohen/ Reuters)
Israel deteve na noite de quarta-feira (5) as 13 passageiras de um barco que tentava chegar à Faixa de Gaza para entregar ajuda. Entre elas está a septuagenária norte-irlandesa Mairead Maguire, prêmio Nobel da Paz em 1976. Elas serão expulsas do país.

O pequeno veleiro Zaytouna-Oliva transportava, além da vencedora do Nobel, estudantes vindas da África do SulNova Zelândia e Malásia.

Elas embarcaram na Europa para tentar chegar a este enclave palestino, submetido desde 2006 a um rígido embargo israelense. AFaixa de Gaza é controlada peloHamas, que entrou três vezes em guerras contra Israel entre 2008 e 2014.

O objetivo das mulheres era alcançar esta região para atrair a atenção de todo o mundo sobre seus 1,9 milhão de habitantes, que sofreram com a pobreza e com o desemprego.
 

Em Gaza, muitas pessoas estavam esperando no porto a chegada do barco com música e festejos. Também estava prevista a saída de barcos para além do limite de seis milhas, a partir do qual o exército lança disparos de advertência ou inclusive abre fogo.
A administração penitenciária de Israel informou que elas foram levadas à prisão de Ramle, no centro de Israel. "Estão aqui à espera de ser expulsas", explicou.

Duas delas, jornalistas, "foram para o aeroporto", declarou Sabin Haddad, porta-voz da Autoridade da População e da Imigração. As demais serão detidas por 96 horas antes de ser expulsas, salvo se decidirem ir embora antes, indicou à AFP.

Não se dão por vencidas
Mas na quarta-feira à noite a Marinha israelense frustrou suas esperanças e interceptou o veleiro a 35 milhas náuticas (65 km) da costa da Faixa de Gaza, antes de escoltá-lo ao porto israelense de Ashdod.

"Estamos muito decepcionadas pelos habitantes de Gaza que nos esperavam, mas não nos damos por vencidas. Enquanto houver bloqueio, haverá flotilhas", afirmou à AFP Claude Léostic, porta-voz da operação, que já tentou chegar a Gaza por via marítima.
"Continuamos sem ter nenhum contato com as passageiras do Zaytouna-Oliva", disse a porta-voz na manhã desta quinta-feira.

O site da operação publicou vídeos filmados antes da saída do barco, nos quais as passageiras lançam apelos para sua libertação. "Meu nome é Ann Wright, sou ex-coronel do exército americano e ex-diplomata. Se virem este vídeo é porque as forças israelenses me sequestraram", afirma uma delas.

Hamas
Após a interceptação do barco, o Hamas classificou a operação da Marinha de Israel de "terrorismo de Estado". O número dois da Organização para a Libertação da Palestina (OLP), Saeb Erekat, denunciou uma "agressão israelense" e pediu a libertação das passageiras.

Desde 2008 várias expedições civis tentaram, sem êxito, forçar o bloqueio do território da Faixa de Gaza. O caso mais grave foi o deuma flotilha atacada em 2010 em uma operação israelense, na qual morreram dez ativistas turcos que iam a bordo do "Mavi Marmara".

Os acordos de Oslo, assinados por israelenses e palestinos em 1993, autorizavam que os moradores de Gaza navegassem, principalmente para pescar, a até 20 milhas náuticas da costa. Mas esta distância diminuiu muito após várias guerras.
7
 
COMENTÁRIOS
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.
RECENTES
POPULARES
  • Joao Frantz
    HÁ 9 MINUTOS
    Acho que não era ajuda que levavam, mas sim sexo grátis, kkkkkkk
    • Wagner
      HÁ UMA HORA
      É claro que eles barraram a entrada de ajuda humanitária. Eles querem que os moradores de GAZA MORRAM!!! E as minguas de preferências! Eis os "escolhidos de DEUS!"
      • Joao Frantz
        HÁ 10 MINUTOS
        Idiota, a ajuda que chegam nas flotilhas todas são repassadas a gaza, menos materiais proibidos.
          • Benaiah Leiehouah
            HÁ UM MINUTO
            "Idiota, a ajuda que chegam nas flotilhas todas são repassadas a gaza, menos materiais proibidos." - Bem comentado Joao Frantz.
            Conforme Termo de Uso, comentários com conteúdo inadequado e spam poderão ser removidos a critério da Globo.com.
        • Elias Rothmann
          HÁ 30 MINUTOS
          Imagina, o H,amas acusar alguém de t,errorismo, é o mesmo que um P,Tista chamar alguém de c,orrupto! !
            • Benaiah Leiehouah
              HÁ ALGUNS SEGUNDOS
              As flotilhas são feitas pra atrair atenção de vitimistas pró terroristas.
              Conforme Termo de Uso, comentários com conteúdo inadequado e spam poderão ser removidos a critério da Globo.com.
          Mundo