segunda-feira, 10 de outubro de 2016

REPUBLICANOS QUE NESTE TEMPO PROMOVEREM OS INTERESSES DO PARTIDO DEMOCRATA SÃO INIMIGOS NATURAIS DE AMERICANOS, INGLESES, CANADENSES, BRASILEIROS, MEXICANOS, ISRAELENSES, SAUDITAS, AFRICANOS, CHINESES, INDIANOS E OUTROS POVOS DA TERRA. DEFENDAM SEUS INTERESSES AMANTES GLOBAIS DA LIBERDADE. FAÇAM O QUE DEVE SER FEITO.


Governador de NY pede que republicanos retirem apoio a Trump
9 out 2016 18h11 - atualizado às 18h53



O governador de Nova York, Andrew Cuomo, fez neste domingo um apelo aos dirigente republicanos de seu estado para que retirem o apoio dado ao candidato, Donald Trump, após o escândalo gerado pelos comentários machistas do magnata nova-iorquino.

"Muitos líderes republicanos estão dizendo: 'Não gosto do que ele disse, mas o apoio'. As coisas não funcionam assim na vida real. Se você o apoia, esta contra as mulheres, é simples assim", declarou o político democrata.

Cuomo qualificou de "desrespeitosas", "sexistas" e "depreciativas" as falas de Trump, em um vídeo feito em 2005 e divulgado na última sexta-feira pelo jornal "The Washington Post" e no qual o magnata fazer comentários vulgares e machistas.

Os líderes de maior destaque do Partido Republicano condenaram com firmeza as declarações ofensivas do empresário, e vários legisladores conservadores e históricos nomes do partido pediram para que ele abandonasse a campanha e retiraram o apoio dado até então.

"É preciso deixar a um lado a política. Você é leal ao seu partido ou é leal aos seus valores como nova-iorquino? Não podemos ser as duas coisas ao mesmo tempo", insistiu Cuomo.

"É uma questão de valores, a mensagem que mandamos aos nossos filhos (...) Por isso é importante que nos unamos, que deixemos a política de lado e que digamos que este tipo de comentário não tem vez na nossa sociedade", acrescentou.

Apesar da onda de críticas, Trump, que se viu obrigado a pedir desculpas publicamente, disse que não tem a intenção de abrir mão da candidatura porque está recebendo um apoio "incrível" das pessoas.

Segundo uma pesquisa divulgada hoje pelo portal "Politico", a grande maioria dos eleitores republicanos, 74%, apoia o candidato, apesar do escândalo do vídeo, frente aos 12% que acreditam que o magnata deveria renunciar.

publicidade