quinta-feira, 13 de abril de 2017

As declarações de Sean Spicer chocaram o mundo. Ao afirmar que “nem Hitler desceu tão baixo ao ponto de utilizar armas químicas”, numa referência à alegada utilização deste tipo de arma por parte do regime sírio de Bashar al-Assad, o assessor de imprensa da Casa Branca gerou uma onda de indignação mundial.


Israel "furioso" e "incrédulo" com afirmações chocantes de Spicer
O ministro israelita dos Transportes e da Inteligência repudiou as declarações do assessor de imprensa da Casa Branca, que entretanto pediu desculpa.

© Reuters
MUNDO EUA
HÁ 10 HORASPOR NOTÍCIAS AO MINUTO

PARTILHAR




As declarações de Sean Spicer chocaram o mundo. Ao afirmar que “nem Hitler desceu tão baixo ao ponto de utilizar armas químicas”, numa referência à alegada utilização deste tipo de arma por parte do regime sírio de Bashar al-Assad, o assessor de imprensa da Casa Branca gerou uma onda de indignação mundial.
PUB






A polémica afirmação de Spicer causou particular repúdio por parte de Israel, que, pela voz do ministro Yisrael Katz, manifestou o seu enorme desagrado.

“Furioso” e “incrédulo”, foi como o membro do Likud, partido do atual primeiro-ministro israelita, Benjamin Netanyahu, reagiu à afirmação de Sean Spicer, afirma o The Guardian.

Katz, que tem a seu cargo os ministérios dos Transportes e da Inteligência, utilizou a rede social Twitter para manifestar o seu desagrado.

“A declaração de Sean Spicer de que Hitler não utilizou armas químicas é severa e ultrajante. Temos uma obrigação moral que precede considerações políticas. Temos de exigir um pedido de desculpa ou a sua demissão”, escreveu.

Entretanto, o assessor de imprensa da Casa Branca já manifestou o seu arrependimento pelas declarações de ontem, considerando-as um “erro”.


Este pedido de desculpa satisfez Yisrael Katz: “Uma vez que se desculpou e retraiu as suas observações, no que me diz respeito, o assunto está encerrado”, afirmou num comunicado, citado pela Reuters. Reforçou ainda a ideia da “tremenda importância da verdade histórica e lembrança” das vítimas do Holocausto.PARTILHE ESTA NOTÍCIA COM OS SEUS AMIGOS