terça-feira, 20 de fevereiro de 2018

Parabéns Israel! Parabéns Egito! Prosperem e sejam benditos em Iehouah Elohim e fortes em Iehouah Tseva'ot.


Parabéns Israel! Parabéns Egito! Prosperem e sejam benditos em Iehouah Elohim e fortes em Iehouah Tseva'ot.

Menu


Israel e Egito assinam acordo 'histórico' sobre gás natural

20.02.2018 às 11h47



Plataforma israelita de exploração de gás, no Mar Mediterrâneo, ao largo da cidade de Ashdod

AMIR COHEN / REUTERS
Acordo de 15 mil milhões de dólares já foi descrito pelo primeiro-ministro israelita como “histórico”. Netanyahu considera que o acordo vai “trazer muitos milhões para os cofres do país”





A empresa israelita Delek Drilling anunciou que vai fornecer o Egito com gás natural no âmbito de um negício no valor de 15 mil milhões de dólares (aproximadamente 12 mil milhões de euros). Este acordo já foi considerado pelo primeiro-ministro israelita, Benjamin Netanyahu, como “histórico” desde que os dois países assinaram o tratado de paz, em 1979.

O fornecimento será feito através da empresa egípcia Dolphinus, que irá adquirir 64 mil milhões de metros cúbicos de gás natural à Delek Drilling — através da empresa norte-americana Noble —, durante um periodo de dez anos.

O gás será fornecido a partir do campo de Tamar, que já se encontra operacional, ou pelo Leviathan, de dimensões superiores, mas que só deverá estar completamente operacional a partir de 2019.

A rota exata através da qual o gás seguirá de um país para o outro ainda não foi determinada. De acordo com Yossi Abu, diretor executivo da Delek Drilling, citado pela Al-Jazeera, existem “várias possibilidades”: uma delas é a utilização do gasoduto da empresa East Mediterranean Gas Company (EMG), que vai de a rota vai de Al-Arish, na província egípcia do Sinai, até Ashkelon, no sul de Israel.

Com a descoberta dos campos de gás Tamar e Leviathan em 2009 e 2010, respetivamente, Israel conseguiu afirmar-se como um país exportador neste sector: desde setembro de 2016, já fornece gás natural à Jordânia.
“ESTE É UM DIA ALEGRE”

Se, por um lado, ainda não houve declarações imediatas por parte de dirigentes egípcios relativas ao acordo de gás natural, para Netanyahu a concretização do acordo poderá trazer coisas positivas para o país: “Este é um dia alegre”, considerou o primeiro-ministro israelita, citado pela Al-Jazeera.

Para Netanyahu, o negócio vai “fortalecer a segurança e economia [de Israel] mas também as nossas relações regionais” e “irá trazer muitos milhões aos cofres do Estado”.


O acordo de fornecimento de gás natural entre Israel e o Egito foi considerado o mais significativo desde 1979, ano em que o Egito se tornou o primeiro país árabe a assinar um tratado de paz com Israel.















MAIS ARTIGOS

Pesquisar